A Anatomia dos Sistemas Reprodutores Feminino e Masculino

 

 

                A reprodução só é possível quando os orgãos genitais internos atingem a maturidade ou seja, quando se desenvolvem os caracteres sexuais primários. A maturidade só se revela através da produção de gâmetas (células sexuais) nas gónadas ou orgãos sexuais: os testículos e os ovários.

             Apesar de ser nas gónadas que são formados os gâmetas, é de salientar também a importância dos outros orgãos do sistema genital. São eles que condicionam o transporte das células sexuais e a manutenção de condições para a sua sobrevivência, permitindo o encontro dos gâmetas e a fecundação.

             Observa atentamente o Sistema Reprodutor Feminino (fig. 1) e o Sistema Reprodutor Masculino (fig. 2) nas figuras que se seguem.

 

FIGURA 1 - SISTEMA REPRODUTOR FEMININO

 

 

FIGURA 2 - SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO

 

 

 

 

 

 

SISTEMA REPRODUTOR FEMININO

 

SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO

 

GÓNADAS

 

 

OVÁRIOS

São dois órgãos em forma de amêndoa localizados na cavidade abdominal. Neles originam-se os óvulos – gâmetas -, células reprodutoras femininas. São também órgãos glandulares produtores de hormonas.

 

 

TESTÍCULOS

São dois órgãos ovóides no exterior da cavidade abdominal, numa bolsa designada por escroto ou bolsa escrotal. Produzem os espermatozóides - gâmetas masculinos- e hormonas.

 

 

 

 

 

TROMPAS DE FALÓPIO

São duas, podendo-se designar por ovidutos. Iniciam-se por uma zona em forma de funil franjado, o pavilhão da trompa, abrindo no fundo do útero. São canais que estabelecem a comunicação ovário - útero.

 

 

EPIDÍDIMOS

São duas estruturas que recobrem parcialmente os testículos, que têm a função de armazenar e amadurecer os espermatozóides.

 

 

VIAS GENITAIS

 

 

ÚTERO

Órgão muscular em forma de pêra, cuja parede se prepara todos os meses para receber o ovo, ocorrendo uma gravidez. A zona inferior designa-se por colo uterino e corresponde ao local onde o esperma é depositado pelo pénis.

 

CANAIS DEFERENTES

São dois canais com cerca de 40cm de comprimento, continuando os epidídimos. Cada um deles penetra no abdómen, atravessa a próstata e abre, finalmente, na uretra. Conduzem os espermatozóides.

 

 

 

 

VAGINA

Canal flexível que se insere no colo uterino e abre para o exterior, a nível da vulva, que tem a função de estabelecer a relação sexual.

 

URETRA

Canal que se inicia na bexiga e percorre o pénis, abrindo na extremidade deste. Permite a condução da urina e do esperma para o exterior.

 

 

 

VESÍCULAS SEMINAIS

Duas glândulas que segregam um líquido constituinte de cerca de 60% do esperma.

 

GLÂNDULAS ANEXAS

 

 

 

PRÓSTATA

Glândula cujos canais excretores abrem na uretra. Elabora o líquido esbranquiçado e açucarado constituinte do esperma e que é expulso na ejaculação.

 

 

 

 

GLÂNDULAS DE COWPER

Duas glândulas do tamanho de ervilhas que comunicam com a uretra. Têm a função de lançar um líquido, antes da cada ejaculação, que vai eliminando os vestígios de urina ao longo da uretra.

 

ORGÃOS

 

LÁBIOS

São pregas cutâneas. Os extremos são os grandes lábios e os mais internos os pequenos lábios.

 

PÉNIS

Órgão externo atravessado pela uretra por onde é expelido o esperma e a urina. O pénis é o orgão que estabelece a relação sexual.

GENITAIS

CLÍTORIS

Pequeno orgão de grande sensibilidade.

EXTERNOS

ORIFÍCIO GENITAL

Orifício que corresponde à abertura da vagina.

ESCROTO

Bolsa onde estão contidos os testículos.

 

João Torres  nº 17